Aula do dia 27/04 – Informática (Word e PowerPoint) e Teorias da Cultura

Na aula de ontem, os professores Silvio Mello (IFRJ/Maracanã) e Victor Hugo Adler (UERJ) deram aulas de Informática para Word e PowerPoint e Teorias da Cultura, respectivamente.

O primeiro tempo de aula foi sobre a Informática para elementos de uso comum no dia-a-dia do Pacote Office, que são o Word, programa que edição de textos e o PowerPoint, programa de criação de slides para uma apresentação.

A primeira parte da aula, foi destinada ao Word, onde os alunos puderam aprender como usar as mais diversas ferramentas desse programa, como formatação dos textos, das palavras, em relação aos parágrafos, margens, entre outros recursos básicos que podem ser aproveitados no programa.

Já a segunda parte da aula do professor Silvio, destinou-se ao PowerPoint, outro programa de muita utilidade do pacote Office, onde foram ensinados aos alunos, alguns dos princpíos básicos do programa, como mudar o design do slide, tempo de apresentação, efeitos visuais e sonoros, adição de vídeos aos slides e etc.

Após o intervalo dos alunos, o professor Victor Hugo Adler, da UERJ, mostrou aos alunos numa aula muito dinâmica, as teorias da Cultura, desde um histórico da palavra “Cultura”, e as suas teorias, passando pelos seus precursores, como Peter Burbe, no século XVIII até a Alemanha da época, onde havia uma valorização do popular, para a construção de identidades regionais.

O professor falou também de pensadores sobre o assunto na atualidade, como Marilena Chauí e Néstor Canclini (ARG) e sobre a Literatura Marginal em São Paulo, e as suas grandes influências como Preto Ghoéz e Érika Nascimento.

Falou também sobre as “culturas” erudita, de massa e popular, onde em um exemplo, ele citou como sendo as culturas eruditas o “legado cultural do Ocidente, a cultura acadêmica”, as culturas de massa sendo “a mercadoria da indústria cultural” e a popular, como sendo “a cultura tradicional, o folclore, o rural.”

E além disso, fez a leitura dos textos  “Cultura é Poder”, de Preto Ghoéz, e “Solar dos Príncipes”, de Marcelino Freire.

Bom, esse foi um pequeno resumo das aulas de ontem (27/04).

Até a semana que vem, onde faremos mais um post da aula do dia 03/05!

Por Victor Baetas

Aula do dia 20/04 – Informática e Gestão Cultural

No segundo dia de aulas do curso, marcaram presença nos dois tempos de aula, a Informática para internet, do professor Moisés André e a Gestão Cultural, com a professora Ana Luiza Silva (IFRJ/Nilópolis).

No primeiro tempo, os alunos tiveram uma introdução ao Google Sites, que é uma das muitas ferramentas do Google, em que qualquer pessoa pode criar de uma maneira fácil e rápida, um site para seja lá qual for o assunto sobre o qual a pessoa deseja criar. E o melhor de tudo… De graça!

Foi proposta aos alunos, a tarefa de criar um site sobre o assunto que eles quisessem e após um determinado tempo, sairam sites sobre os mais diversos temas: culturais, culinários, artísticos, pessoais, de eventos que vão haver aqui no Rio e etc.

Depois do intervalo, os alunos tiveram no segundo tempo a aula sobre Gestão Cultural, com a professora Ana Luiza Silva, do curso de Produção Cultural do IFRJ/Nilópolis.

A professora em sua aula fez um histórico sobre a Gestão Cultural, passando desde o seu início, até os precursores como Darcy Ribeiro, entre outros.

Ela também fez diversos comentários sobre as Leis de incentivo à Cultura da época, que era a Lei Sarney e  atual, que é a Lei Rouanet.

Além desses dois pequenos históricos, a professora fez comentários sobre as diversas e constantes mudanças das Leis e mostrou quais eram os benefícios dessas mudanças nessas leis e pra finalizar a aula, depois de uma chuva de perguntas dos alunos, a professora fez uma breve fala sobre as questões que envolvem uma “certa polêmica” sobre as leis e os editais de patrocínio e afins.

Bom, esse foi mais um resumo de como foi a aula da semana passada do curso.

Na próxima quinta, mais uma postagem sobre como foram as aulas do dia 27/04!

Até!

Por Victor Baetas

1ª aula em sala (13/04) – Informática e Introdução à Produção Cultural

A aula de quarta-feira (dia 13/04) do curso foi simplesmente um show!

No primeiro tempo de aula, o professor de informática básica, Moisés André, mostrou aos alunos como fazer um documento em conjunto no Google Docs
e antes do professor explicar qual era a atividade, eles simplesmente “quebraram a cabeça” para tentar começar a digitar o trabalho.

Depois desse quebra-cabeça, finalmente a atividade foi explicada: Os alunos se dividiram em 3 grupos: Teatro, Dança e Música.

Para cada tema, foi definido um “líder” para que se pudesse coordenar todo o trabalho, através de temas propostos por esses líderes de cada grupo.

Feito isso, os outros alunos deveriam escrever um texto sobre cada tema em conjunto.

A medida que os alunos iam alimentando o documento, os projetos começavam a ganhar forma e ficar show de bola!

Abaixo, um trecho do que cada grupo produziu sobre cada tema:

  •  Teatro:

“Laboratório: Técnica utilizada pelo ator para montar o seu personagem, requer muita atenção, sensibilidade e muito estudo , pois é importante que ator tenha pleno conhecimento do que ou quem vai representar.

O laboratório é muito importante , para o ator dar mais vida e realidade ao seu personagem, onde o ator estará observando e obtendo informações sobre comportamentos . É também para trabalhar atitudes, linguagens , culturas da região e atitudes religiosas , o laboratório serve tanto pra o teatro, televisão, cinema entre outros. […]”

  • Música:

“A música foi e sempre será importante em todas as épocas. No século 18, na aristocracia européia o que se curtia era a música erudita. E todos os povos de todos os lugares curtem até hoje. Com a vinda da Família Real para o Brasil, a música erudita ganhou força nas elites, mas outras fontes musicais também tiveram seus sons ecoando pela cidades e praças do Brasil. Uma mistura sonora está em todo lugar devido a miscigenação do brasileiro […]”

  • Dança:

“A Dança enquanto Movimento Corporal: Falar do homem implica também falar de seu corpo. Corpo estático, em movimento, social, corpo físico, entre outros, pois o corpo em sua idiossincrasia, ao navegar por tempos e lugares diferentes, passa a representar não apenas aquilo que se revela biológico. Mas, o corpo, como lugar onde se inscrevem os elementos culturais presentes nas experiências que os sujeitos vivem ao longo de sua existência, é a primeira forma de identificação, pois logo ao nascer somos identificados através da corporalidade, como homens e mulheres (Sayão, 2003)[…]”

Isso é só uma mostra do que essa galera já tá começando a produzir e com certeza, vem muito mais por aí!

Após essa mini-produção que eles fizeram, um merecido descanso para repor as energias, porque depois do intervalo haveria a aula da professora do IFRJ – Campus Nilópolis, Renata Silêncio, sobre Introdução à Produção Cultural. A aula da professora foi basicamenten uma palestra sobre o que é a Produção Cultural em si, as atribuições de um produtor cultural, áreas de atuação, onde há cursos de Graduação em Produção Cultural e além disso, a professora compartilhou com os alunos as diversas experiências dela na área, de uma maneira bem simples, compreensível e divertida.

Bom, esse foi um resumo da primeira aula em sala do curso… Quarta-feira tem mais!

É isso, galera!

Abraços e Até!

Por Victor Baetas

Aula Inaugural do Curso!

Fala aê, pessoal…

Depois de todos os processos para a seleção dos alunos, o curso “Periferias em Cena!” finalmente teve o seu início e com certeza não poderia ter sido de uma forma melhor!

Os alunos do Coral do IFRJ fizeram uma apresentação do espetáculo apresentado no ano passado em Homenagem aos 100 anos da Revolta da Chibata, e simplesmente deram show! Cantando de “O Mestre-sala dos mares” de João Bosco e Aldir Blanc a “Olhos Coloridos (Sarará Crioulo)” de Sandra de Sá, os alunos tiveram uma performance que empolgou aos alunos da nova turma do curso, e aos que estavam presentes.

 

Depois, o pró-reitor de extensão Luiz Edmundo Aguiar fez uma fala sobre a importância do curso no IFRJ, uma vez que a escola que tem uma tradição na formação de alunos na área de Química, recebe agora um curso de Produção Cultural.

Os alunos ainda fizeram uma dinâmica com a coordenadora do curso Pâmella Passos, onde ela mostrou aos alunos o que é o curso, e após isso, os alunos tiveram que se apresentar um por um, dizendo de onde eram, o que faziam e tinham que ler ainda um fragmento de uma música ou alguma poesia ligada à periferia e dizer o que o mesmo representava. De Arlindo Cruz à Mano Brown, os alunos se apresentaram e já puderam se conhecer um pouco mais, e os membros da equipe do curso

Após um pequeno intervalo, uma mesa-redonda formada pelo Diretor Geral do Campus Rio de Janeiro, Jefferson Amorim, o Diretor de Ensino do Campus Rio de Janeiro, Cristiano Ponte, o Coordenador Geral de Programas e Projetos da Pró-reitoria de Extensão, Rafael Almada, a Coordenadora do Curso, Pâmella Passos e a representante da Secretaria de Estado de Educação, Marcela Camargo, falou sobre a importância da integração entre o Estado, a comunidade e as Instituições de Ensino, tendo assim a oportunidade de um diálogo direto com representantes desses setores (o Estado e as Instituições de Ensino).

Bom, esse foi um pouco do que rolou na Aula Inaugural do curso, e a partir de agora, começa a ralação!
Nos próximos dias, voltarei pra falar de como foi a primeira aula em sala dos alunos.

Um abraço, e até o próximo post!
Por Victor Baetas