SINTONIA

Aguçar os sentidos
Sentir a vida em cada canto,em cada momento
Sintonizar com o inexplicável, o invisível, mas presente  em todos os momentos e participando das vidas daqueles que sentem,entendem, acreditam, aceitam e respeitam tudo que é vivo seja em que forma for.
Respire, sinta
Se deixe levar e se envolver por essa atmosfera, inebriante, enigmática e prazerosa que é simplesmente SER.
Se deixe levar
É simplesmente maravilhoso e inexplicável.
O som,o vento, energia do lugar, tudo nos leva a tempos talvez vividos ou quem sabe aqui repetidos de formas e maneiras diferente  se repetindo ao longo dos séculos, ou quem sabe até  se repetindo por toda a eternidade do SER

Geysa Passos
Ouro Preto – mina do Chico Rei – julho de 2011

Filhos da Periferia

Poesia escrita pela aluna Rosana Victor durante a visita técnica a Ouro Preto:

Numa manhã tão fria
Lá estão reunidos.

Filhos das periferias!

Na mente um sonho
E no peito a utopia.

De levar e dividir
Encanto e a alegria.

Tão simples e tão complexos
No desejo de autonomia
Assim são eles.

Filhos das periferias!

Dividem os espaços
Sonhos e sabedorias
Se doam na certeza de cada dia.
Assim são eles.

Filhos das periferias!

Filhos que sorriem ,choram
Acalentam quando os ignoram .

Trazem cores ,brilhos e emoção
E acreditam na transformação.

É quem diria…

Estes são os filhos das periferias!
                                                                                            (Rosana Victor)        

Aula do dia 29/06 – Informática para Internet (Blogs e Sites) e Indústria Cultural

Na última aula, os professres Moisés André e Adriana Facina entraram em cena e deram aulas de Informática para Internet (na parte de blogs e sites) e sobre a Indústria Cultural, respectivamente.

No primeiro tempo de aula, o professor Moisés André, que já deu aulas para os alunos anteriormente, falou sobre os blogs e sites, sobre como criar um blog e como mexer no mesmo, entretanto, por conta de um problema técnico com a internet, a aula teve de ser encerrada mais cedo, pois os alunos não estavam conseguindo acessar a mesma.

Após um intervalo um pouquinho maior, os alunos voltaram a sala, e tiveram aula com a professora e também Vice-Coordenadora Geral do curso, Adriana Facina (UFF) sobre a Indústria Cultural.

A professora iniciou a aula se apresentando aos alunos e ao final de sua apresentação, pediu para que eles também se apresentassem, um a um.

Depois, iniciou de fato a aula, fazendo um histórico da Indústria Cultural, desde o surgimento dessa expressão, criada no pós-Guerra, por Adorno e Horkheimer, e falando sobre o que é essa Indústria Cultural, e como Adorno e Horkheimer perceberam a existência dessa indústria cultural.

Após, falou sobre como os pensadores mostraram o fato de como essa Indústria consegue se manter, ainda mais naquela época, onde o mundo estava em plena crise dos anos 30.

Falou também sobre os perigos da “estilização política”, que foi mostrado por Walter Benjamin, que fala sobre como a indústria cultural influencia não só a política, mas também outras áreas.

A professora ainda fez durante a aula vários debates sobre os assuntos expostos na sala de aula, relacionando-os com o atual cenário, e sempre com a opinião dos alunos.

Bom, esse foi mais um resumo das aulas do curso.

Até o próximo post!

Por Victor Baetas