Aula do dia 22/06 – Comunicação Popular e Economia da Cultura

Nas aulas do dia 22, entraram em cena, para dar aulas de Comunicação Popular e Economia, o Repper Fiell (ex-aluno do curso) e o Prof. Samuel Araujo (UFRJ), respectivamente.

No primeiro tempo de aula, o Repper Fiell, iniciou a aula falando sobre a sua experiência na comunicação popular, nos seus 15 anos de carreira no Hip-Hop, e atualmente como diretor da Rádio Comunitária do Morro Santa Marta, e a partir daí, iniciou vários debates com os alunos sobre a comunicação popular, dando como exemplos, a própria rádio em que ele é diretor e o jornal Visão da Favela Brasil, em que ele publica suas matérias.

Falou também, sobre a música (Funk e Hip-Hop), o audiovisual, as roupas, o jornal e o rádio, em seu contexto na comunicação popular e como cada um deles tem a sua importância nessa comunicação e como cada um desses pode influenciar, realizando sempre debates em cada um dos tópicos com os alunos.

Após o intervalo, o professor Samuel Araujo deu a aula de Economia da Cultura para os alunos, onde ele abriu a mesma se apresentando, e depois, pediu para que cada aluno se apresentasse também.

Depois, iniciou a aula falando sobre a relação entre a economia e a cultura, onde nesse caso, as políticas públicas perceberam que a cultura tinha o seu valor.

Debateu ainda com os alunos sobre a pluraridade das culturas, e a economia em torno delas. Falou também sobre as políticas públicas que tentam beneficiar o aumento do capital (das gravadoras, por exemplo) entre outros assuntos, sempre com os alunos expondo suas opiniões e iniciando novos debates.

Após isso, mostrou uma apresentação de slides, falando sobre as tendências de mercado de música na comunidade da Maré, mas antes, ainda falou sobre o mercado e a sua definição, e o mercado como sendo “um espaço socialmente construído para a cessão gratuita, troca e venda de mercadorias”.

Falou sobre as questões em que se dá esse mercado, dando como exemplo, o Canecão, onde a Sony Music fez uma proposta a UFRJ para a administração compartilhada do espaço.

E já finalizando a aula, falou mais sobre a sua pesquisa, e mostrou dados obtidos na mesma, que vem sendo realizada desde 2004.

Bom, esse foi mais um resumo das nossas aulas.

Até a semana que vem com mais um resumo!

Por Victor Baetas

Aula do dia 15/06 – Legislação e Atividade Cultural e Patrimônio Cultural

Para as aulas do dia 15, entraram em cena, os professores Luiz Moncau (FGV) e a professora Pâmella Passos, e eles falaram com os alunos sobre Legislação e Atividade Cultural e Patrimônio Cultural, respectivamente.

No primeiro tempo de aula, o prof. Luiz Moncau abriu a aula falando sobre o que é o direito autora (que é o fato de que seja assegurado o crédito ao autor de uma obra e assegurar remuneração pelo esforço do mesmo), e o que ele protege, entre eles: Texto, música, filme, fotografia, softwares e etc. Falou também sobre a diferença entre o direito autoral (Lei nº 9610/98), propriedade industrial, marcas e as patentes.

Depois, falou sobre as ideias que regem o sistema, onde, de um lado, está o acesso a obra, sem o pagamento dos direitos autorais, e do outro, a proteção dos mesmos, por parte das gravadoras e etc.

Falou também sobre o domínio público, que nada mais é do que a expiração dos direitos do autor sobre a sua obra, que é válido até 70 anos após a morte do mesmo.

Fez ainda um histórico de como eram os os meios de comunicação nos anos 90 e nos dias atuais. Falou ainda sobre as relações de consumidor-produtor, de cultura em geral e a colaboração criativa.

E o professor finalizou a aula falando sobre os Creative Commons, que são as licenças para a utilização da obra, dependendo para que fim a mesma será utilizada. O Creative Commons não é a ideia de controle absoluto da obra e nem a de nenhum controle sobre a mesma, mas sim a ideia de se ter apenas alguns direitos reservados.

Após o intervalo, a professora Pâmella Passos deu aula sobre o Patrimônio Cultural para os alunos, onde ela abriu a aula com um trecho do filme ” Narradores de Javé”, que conta a história de uma cidade que, para não ser inundada por conta de uma barragem que será construída lá, teria que de alguma forma ser tombada, patrimônio histórico.

Depois desse trecho do filme, fez uma breve introdução sobre o patrimônio cultural e fez um questionamento aos alunos com a seguinte pergunta “Quem pode contar a História e pra quem ela vale?”, dando início a uma série de debates com os alunos, entre eles, o fato de como a cultura pode vir a ajudar outros setores da população e de como a cultura pode ser ácida, a ponto de fazer críticas a esses setores do governo.

Falou também sobre o que é o Patrimônio imaterial e intangível, e suas especificidades, dando exemplos sobre esses patrimônios imateriais, que estão tombados e em processo.

E já finalizando a aula, falou sobre os processos de tombamento e o que é necessário para que se realize esse tombamento e ainda leu o poema de Bertold Brecht, “Perguntas de um operário”, para finalizar de vez a aula.

Bom, esse foi mais um resumo das aulas do nosso curso.

Até a próxima!

Por Victor Baetas

Aula do dia 08/06 – Projetos Socioculturais e Políticas Culturais

No dia 08/06, a professora Ana Luisa e o professor João Guerreiro, entraram em cena, para dar as aulas sobre Projetos Socioculturais e Políticas Culturais, respectivamente.

No primeiro tempo, a aula foi dedicada a falar sobre os Projetos Socioculturais, onde a professora Ana Luisa iniciou a aula falando sobre alguns exemplos de projetos socioculturais e falou sobre os objetivos que esses projetos devem ter.

Falou sobre 4 pontos que o projeto deve ter: Foco, Identidade, conteúdo e um ponto que é muito importante, o seu conhecimento. Além disso, falou sobre a excelência artística, que nada mais é do que o projeto tenha alguma expertise, que tenha um articulamento e etc.

Depois, falou sobre as questões territoriais, sejam elas no que diz respeito do seu projeto, ou seja, o espaço que você pretende aplicar o seu projeto.

Após a fala, a professora fez uma atividade com os alunos, onde eles tinham que se dividir em 3 grupos, e realizar a leiturade texto entregue pela própria professora e feito isso, eles tinham que dar um exemplo, a partir da leitura do texto, de um projeto que deveria conter os seguintes itens: Ser sociocultural, ter excelência e qual é a ocupação territorial do mesmo. Depois de terminado o tempo dado pela professora, os alunos apresentaram as suas propostas e a professora debateu com os alunos sobre os mesmos, finalizando a aula.

Após o intervalo, quem deu aula para os alunos foi o professor João Guerreiro, que começou a aula falando sobre os objetivos da aula, e sobre o que são as políticas culturais e quando as mesmas surgiram.

Fez também um histórico sobre a construção do projeto de politica de cultura no interior do estado, de 1930 a 1970, passando pela construção da identidade nacional, que é a construção do popular.

Fez ainda um histórico cultural, que passou pelos anos de Brasil Império, pela ditadura de 1964, relacionando a mesma com as políticas culturais da época, por 1988, com a nova constituição, e os novos projetos para a área cultural, até a criação da Lei Rouanet, que só foi regulamentada no governo de FHC, em 1995, e finalmente chegando as políticas culturais dos dias atuais, realizando debates sempre entre os tópicos.

Bom, esse foi mais um resumo das aulas do curso!

Até a quinta, com mais um post sobre as aulas do dia 16/06

Abraços e até!

Por Victor Baetas

Aula do dia 18/05 – Oficina de Elaboração de Projetos

No dia de ontem, uma oficina de elaboração de projetos culturais, da Secretaria de Estado de Cultura do Rio de Janeiro foi realizada durante os dois tempos de aula do curso.

Antes do início das aulas, Marcela Camargo, que também é da Secretaria de Cultura do Estado, trouxe um questionário para que os alunos respondessem em que áreas culturais eles trabalham, o que fazem entre outras perguntas que envolviam, no que de fato, os alunos trabalhavam e produziam.

Depois disso, as professoras Simone Nascimento e Maria Cecilia, no primeiro tempo de aula, falaram detalhadamente sobre o EAPCULT, que é o Escritório de Apoio à Produção Cultural e também deram detalhes sobre os vários núcleos do escritório e no que cada núcleo trabalha.

Após o intervalo, as professoras começaram de fato a oficina sobre a elaboração de projetos culturais, que tem por objetivo “contribuir para a qualificação de Agentes Culturais, no que se refere a elaboração de projetos do campo artístico, e cultural, visando sua inserção no mercado cultural fluminense.”

Elas falaram também sobre o que é um projeto, passando pelo seu entendimento, a sua estrutura geral de um projeto,desde o que cada item dessa estrutura deve ter, itens esses como uma introdução, falaram sobre a concepção de projetos e falaram ainda sobre os editais que se encontram abertos nesse momento.

Bom, esse foi mais um resumo das aulas da semana do curso.

Semana que vem, mais um post sobre as aulas.

Abraços e até lá!

Por Victor Baetas

PS: Ao final da aula, ainda deu tempo de uma foto dos alunos com as professoras do curso, e com a professora Pâmella Passos

Peça “45 Minutos” e Aula do dia 11/05 – Projeto Cultural e Leis de Incentivo à Cultura

Hoje o post vai ser um pouco grande, pois tem monte de coisa pra falar!

Enfim, então vamos a elas:

No dia 06/05, os alunos foram até o Teatro Sesi, no Centro, para assistir a peça “45 Minutos”, um monólogo estrelado pelo ator Caco Ciocler, onde ele, em 45 minutos, é obrigado a entreter o público em troca de comida, e do pequeno quarto onde mora, nos fundos do teatro.

Abaixo, algumas opiniões dos alunos sobre a peça:

“45 minutos para pensar/para refletir/para ragir/para interagir/para resgatar/para salvar uma alma perdida dentro de si, que por circunstância do destino, e descaso das pessoas, manteve-se inerte por tempos, na espera de que alguém o resgatasse dessa situação, retirando enfim, não só o artista perdido nesse marasmo, mas o ser humano que com certeza ali ainda existe, a espera de ser resgatado.” – Geysa

“Super interessante, mas melancólico. Viajei na paranóia do personagem de estar deprimido em um quartinho, já em decadência da carreira; Quase um paciente de trantorno psíquico achei que o momento fatal, seria o tiro na cabeça. Adorei a ideia do quartinho que nunca ninguém visita, mas curti o momento de ser audaciosa em visitar o personagem nos fundos do teatro.” – Cida

Já nas aulas de ontem, quem entrou em cena foi a professora Marisa Mello, e deu aulas para os alunos nos dois tempos, sobre Projeto Cultural e Leis de Incentivo à Cultura, respectivamente.

O primeiro tempo de aula foi sobre Projeto Cultural, onde ela apresentou aos alunos como fazer um projeto cultural, e o que o mesmo deve conter, passando pelos objetivos do projeto, o projeto principal, os projetos secundários, entre outros itens muito importantes, para fazer com que esse projeto fique bem apresentado.

Ela ainda mostrou no primeiro tempo de aula, alguns [muitos] detalhes sobre um projeto realizado por sua equipe, chamado “Cartazes Cubanos – Um olhar sobre o cinema mundial”, e utilizou justamente esse projeto para exemplificar cada item que deve se conter em um projeto cultural.

Após o intervalo, os alunos voltaram para a sala de aula, para ter mais um tempo de aula com a professora, que continou mostrando os detalhes do projeto, entre planilhas, documentos, editais, e além disso, ainda falou sobre os meios de se conseguir recursos para apresentar ou expor um projeto cultural, entre eles: Editais, Leis de Incentivo à cultura , como a Lei Rouanet e Lei do ICMS (estadual), Recursos privados, entre outros.

Esse foi mais um resumo da aula da semana do curso!

Até a semana que vem, pessoal!

Por Victor Baetas

Aula do dia 27/04 – Informática (Word e PowerPoint) e Teorias da Cultura

Na aula de ontem, os professores Silvio Mello (IFRJ/Maracanã) e Victor Hugo Adler (UERJ) deram aulas de Informática para Word e PowerPoint e Teorias da Cultura, respectivamente.

O primeiro tempo de aula foi sobre a Informática para elementos de uso comum no dia-a-dia do Pacote Office, que são o Word, programa que edição de textos e o PowerPoint, programa de criação de slides para uma apresentação.

A primeira parte da aula, foi destinada ao Word, onde os alunos puderam aprender como usar as mais diversas ferramentas desse programa, como formatação dos textos, das palavras, em relação aos parágrafos, margens, entre outros recursos básicos que podem ser aproveitados no programa.

Já a segunda parte da aula do professor Silvio, destinou-se ao PowerPoint, outro programa de muita utilidade do pacote Office, onde foram ensinados aos alunos, alguns dos princpíos básicos do programa, como mudar o design do slide, tempo de apresentação, efeitos visuais e sonoros, adição de vídeos aos slides e etc.

Após o intervalo dos alunos, o professor Victor Hugo Adler, da UERJ, mostrou aos alunos numa aula muito dinâmica, as teorias da Cultura, desde um histórico da palavra “Cultura”, e as suas teorias, passando pelos seus precursores, como Peter Burbe, no século XVIII até a Alemanha da época, onde havia uma valorização do popular, para a construção de identidades regionais.

O professor falou também de pensadores sobre o assunto na atualidade, como Marilena Chauí e Néstor Canclini (ARG) e sobre a Literatura Marginal em São Paulo, e as suas grandes influências como Preto Ghoéz e Érika Nascimento.

Falou também sobre as “culturas” erudita, de massa e popular, onde em um exemplo, ele citou como sendo as culturas eruditas o “legado cultural do Ocidente, a cultura acadêmica”, as culturas de massa sendo “a mercadoria da indústria cultural” e a popular, como sendo “a cultura tradicional, o folclore, o rural.”

E além disso, fez a leitura dos textos  “Cultura é Poder”, de Preto Ghoéz, e “Solar dos Príncipes”, de Marcelino Freire.

Bom, esse foi um pequeno resumo das aulas de ontem (27/04).

Até a semana que vem, onde faremos mais um post da aula do dia 03/05!

Por Victor Baetas

Aula do dia 20/04 – Informática e Gestão Cultural

No segundo dia de aulas do curso, marcaram presença nos dois tempos de aula, a Informática para internet, do professor Moisés André e a Gestão Cultural, com a professora Ana Luiza Silva (IFRJ/Nilópolis).

No primeiro tempo, os alunos tiveram uma introdução ao Google Sites, que é uma das muitas ferramentas do Google, em que qualquer pessoa pode criar de uma maneira fácil e rápida, um site para seja lá qual for o assunto sobre o qual a pessoa deseja criar. E o melhor de tudo… De graça!

Foi proposta aos alunos, a tarefa de criar um site sobre o assunto que eles quisessem e após um determinado tempo, sairam sites sobre os mais diversos temas: culturais, culinários, artísticos, pessoais, de eventos que vão haver aqui no Rio e etc.

Depois do intervalo, os alunos tiveram no segundo tempo a aula sobre Gestão Cultural, com a professora Ana Luiza Silva, do curso de Produção Cultural do IFRJ/Nilópolis.

A professora em sua aula fez um histórico sobre a Gestão Cultural, passando desde o seu início, até os precursores como Darcy Ribeiro, entre outros.

Ela também fez diversos comentários sobre as Leis de incentivo à Cultura da época, que era a Lei Sarney e  atual, que é a Lei Rouanet.

Além desses dois pequenos históricos, a professora fez comentários sobre as diversas e constantes mudanças das Leis e mostrou quais eram os benefícios dessas mudanças nessas leis e pra finalizar a aula, depois de uma chuva de perguntas dos alunos, a professora fez uma breve fala sobre as questões que envolvem uma “certa polêmica” sobre as leis e os editais de patrocínio e afins.

Bom, esse foi mais um resumo de como foi a aula da semana passada do curso.

Na próxima quinta, mais uma postagem sobre como foram as aulas do dia 27/04!

Até!

Por Victor Baetas

Entradas Mais Antigas Anteriores